• Pedro Piovan

Conectar


Peço licença aos grandes mestres da língua portuguesa para fazer uma tradução livre do significado da palavra "conectar".

Certa vez, um mestre espiritual me ensinou o real significado dessa palavra, saindo um pouco fora do significado literal da palavra. De acordo com o dicionário Houaiss, "conectar" significa ligar uma parte a outra. Porém essa interpretação parte do pressuposto que algo estava sem sintonia ou fora de comunicação antes de alguém ter a ação de conectar. E é a partir desse ponto que vou discorrer um pouco nesse texto.

De acordo com a lição desse mestre, dividirei a palavra entre "co" e "nectar".

Todos nós possuímos o néctar divino dentro de nosso corpo. Por mais que, na maioria das vezes, a correria da vida nos conecte a questões e preocupações mundanas, nós possuímos em nosso íntimo o néctar divino, afinal, nós somos Ele.

A partir do momento que fomos fatorados como uma centelha divina, ou seja, uma parte de Deus, fomos concebidos como seres a partir de Sua energia. Ao passar do tempo nós evoluímos, e hoje estamos no sexto estágio evolutivo da criação: o natural.

Isso significa que já passamos por uma série de vidas e vivências em nosso ser antes de estarmos aqui. E desde que somos um ser vivo, nós possuímos o néctar divino. Como uma planta, o néctar é a nossa substância divina que nos liga ao Sagrado.

O nosso néctar divino esta presente dentro de nosso íntimo, circundado de todas as energias divinas que nos fazem Ser. Ao passar do tempo, criamos várias camadas que cada vez mais nos dificultam para acessa-lo se não estamos bem equilibrados mentalmente - porém ele nunca deixa de estar lá.

E essa não é uma interpretação unicamente umbandista. Os hindus e budistas já interpretam o néctar que nós possuímos dentro de nossa Existência como o "imortal" ou "o que transcende". Da mesma forma na mitologia greco-romana, o néctar era a bebida dos deuses no Olimpo.

Já o "co" possui uma explicação mais simples: o nosso Ser é coabitado - eu mesmo e Ele. Ao acessarmos o nosso néctar, nós percebemos que é lá que está o Eu e Ele - é o momento de conexão com seu Eu Maior. Ao ponto de se confundir Nele e Ele se confundir com você. O ponto da transcendência é quando vocês são Um.

Portanto, o ato de se conectar é quando você realmente atingiu o seu néctar, seja por meio da meditação, experiências religiosas ou transcendentais - isso não importa. O que realmente importa é que atinja a plenitude da vida, que desperte para ser a plenitude.

A lição que aprendi com meu querido e amado mestre: seja o néctar. Não se importe se o alcançará ou não, pois isso está em cada um de nós, independente de nossas preocupações mundanas (como ansiedade, insegurança ou depressão). O Divino está em nós, e nós somos Ele. Basta nos permitirmos Ser.

Pedro Piovan

Dirigente Espiritual do Templo Escola Pai João da Caridade


39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo