• Pedro Piovan

A Meditação e Eu


Muitas vezes enganamos a nós e aos outros quando conversamos sobre meditação e logo imaginamos algo mais ou menos assim:

A meditação não é a expectativa de elevação e nem o pensamento do que você fez ontem, mas sim a simplicidade em estar aqui, neste momento. Entramos em meditação quando entendemos a realidade da meditação: a presença humana.

Quando falo em presença, é uma palavra muito profunda com significados inúmeros, se tornando quase que um mantra. Acho interessante começarmos como a forma mais simples de presença:

  • Perceba onde você está nesse momento, quais são as sensações em seu corpo, o que está perto de você e como está sua respiração.

  • Feche os olhos e perceba que você está nesse ambiente, sentindo tudo o que você observou.

  • Continue observando tudo o que já está aí.

  • Não espere nada além disso, apenas o que já está no seu corpo e no seu entorno.

Pronto, isso é presença.

Fácil assim?

Sim, simples assim!

Mas gostaria de trazer para você uma perspectiva também profunda, mergulhando no que estamos chamando de presença.

Ao se perceber em um ambiente e tudo o que te influencia, você começa a prestar mais atenção em seu corpo, nos seus sentimentos, sentidos e ações. Você começa a dar mais qualidade para a sua presença.

A partir do momento em que você começa a observar tudo o que está a sua volta, você consegue aprofundar cada vez mais em suas sensações e entender coisas que anteriormente não entendia (seja pela pressa de terminar a meditação logo ou por qualquer outro fator que te acelerasse). E é esse um dos principais fatores da meditação na Umbanda - a sua presença de fato.

Não precisa ser uma presença búdica ou ter algum ato de elevação - apenas estar presente, com você mesmo.

Ao entrar em contato com suas sensações, você começa a se perceber, juntando todos os pedaços de um grande quebra-cabeça - calmamente. Você começa a se sentir por inteiro, até um determinado momento em que você apenas está ali, aceitando todos os pensamentos e sensações que beiram a sua realidade.

O ato de elevação não está na expectativa de entrar em contato com o Sagrado por meio da meditação - está apenas em Ser você mesmo.

Se Deus está em você, basta apenas encontrarmos ele, correto?

Se aquietar e prestar atenção em sua respiração é o primeiro passo para isso. Tomando esse movimento, devagar o seu corpo e a sua existência vai te dando sinais naturais da presença do Divino e do Sagrado em seu corpo. De pouco em pouco, você começa a ter mais facilidade em dialogar com as energias que beiram o seu corpo, com as entidades e com os Orixás que te iluminam.

A meditação é uma ferramenta fortíssima para entrar em contato consigo mesmo e aprender a lidar com algumas limitações naturais suas, aceitando-as em seu corpo. A partir do momento em que você para de lutar contra elas, automaticamente você entra em um estado de paz e harmonia - estando ativamente calmo e calmamente ativo.

Para entender um pouco mais sobre esse universo para responder alguns questionamentos e confusões internas na meditação, recomendo a vivência MeditUmbanda - um canal para o esclarecimento na meditação dentro do universo Umbandista (hyperlink). Nesses encontros buscamos responder essas confusões mentais e entrar cada vez mais fundo em nossa existência.

Um grande abraço e Axé!

Pedro Piovan

Dirigente Espiritual do Templo Escola Pai João da Caridade

#meditação #EuMaior #empoderamento #MeditUmbanda #mente

245 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo