• Pedro Piovan

Quem é Deus na Umbanda?


A Umbanda é uma religião brasileira monoteísta que crê em Deus e suas divindades, os Orixás. Como a cultura brasileira, a Umbanda possui influências do catolicismo, espiritismo, hinduísmo, cultos de nação, cultos indígenas entre outras religiões, possuindo sincretismo com todas elas mas com fundamento próprio e único.

Pragmaticamente, a Umbanda crê que Deus é onipresente, onisciente e onipotente, presente em tudo e em todos a todo momento. Os Orixás, representações das forças divinas, singularizam cada parte de Deus em um segmento único. Por exemplo, o Orixá Oxóssi representa a força do conhecimento, da natureza e do caçador.

Deus é representado por sete sentidos da vida - fé, amor, conhecimento, justiça, lei, evolução e geração - e cada sentido tem dois Orixás, um positivo e outro negativo (em termos de padrão energético e não de bem ou mal). Claro, mais uma vez como a cultura brasileira, a religião de Umbanda possui mais de uma centena de Orixás que conhecemos e que não conhecemos, podendo cada sentido da vida ter mais de dois Orixás. Porém, por padrões de Ordem Divina e o que podemos conhecer, a Umbanda possui sete sentidos da vida e quatorze Orixás.

Se podemos resumir a presença de Deus, compreendemos ele em sete tronos em ordem de princípios: Trono da Fé, Trono do Amor, Trono do Conhecimento, Trono da Justiça, Trono da Lei, Trono da Evolução e Trono da Geração. Por enquanto, não vamos entrar profundamente no fundamento dos Tronos, se não teremos que escrever um livro sobre isso. O objetivo deste texto é escrever sobre Deus e seus desdobramentos na Umbanda.

Portanto, cada sentido de nossa vida possui uma parte de Deus e, se polarizarmos a condução energética desses tronos, teremos um lado positivo e outro negativo. Por exemplo, no Trono da Fé, possuímos a lado positivo, universal, expansor, o Orixá Oxalá; no lado negativo, cósmico, esgotador, possuímos a Orixá Logunan. Cada Orixá traz um fundamento energético dentro do Trono da Fé, como por exemplo Oxalá, congregador e símbolo da expansão da fé, sincretizado com Jesus Cristo. Mais uma vez, não nos atemos a detalhes sobre os Orixás, pois isso será assunto para outro momento. É importante explicarmos perenemente os fundamentos dos Tronos e Orixás, mas a profundidade nesses temas virão em um outro momento.

Se cada sentido da vida simboliza um sentimento, sensação ou movimento dos seres humanos, Deus para a Umbanda e o umbandista significa que sua onisciência, onipresença e onipotência está dentro de nós! O mais importante desse assunto está neste parágrafo: Deus está em você!

Como criador de tudo e de todos, presente na criação e no vazio que antecede a criação, Deus, Tupã, Zambi ou Olorum, representa toda a nossa liberdade de acordo com nossos limites, ou seja: nossa felicidade. E a felicidade é algo muito simples de atingir: viva a sua verdade de acordo com a Lei e Justiça Divina, respeitando sempre os seus limites e os limites de seus irmãos.

Falando em um aspecto um pouco mais complexo, Deus é a união de todas as criações, cosmos, animais, vegetais e energias, que direciona para nós apenas o que é de nosso merecimento para a evolução individual de cada ser animado e inanimado. Por estar presente em tudo e em todos a todo momento, nós singularmente emanamos uma representação da energia divina, então eu repito: Deus está apenas em nós e no que acreditamos que ele é - tudo!

Então, podemos concluir essa pequena introdução a Deus dizendo que Olorum representa nossa liberdade de escolha, desenvolvimento, evolução e merecimento. Como criador, nos reverenciamos a ele pela oportunidade de crescimento e de ser uma pessoa melhor em nosso contexto social.

Adorei as Almas!

#Deus #Umbanda

6.966 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo